Volta às aulas: readaptação à escola

As férias estão quase acabando e é hora de preparar seu filho para retomar a velha rotina.

Depois de um mês de descanso das aulas, quando os estudantes (crianças e adolescentes)  puderam passear, ficar em casa, dormir até mais tarde, brincar muito, divertir-se e, com sorte, até viajar, é hora de voltar para a escola. O processo da readaptação que ocorre agora no meio do ano costuma ser mais simples do que o início das aulas em janeiro/fevereiro, afinal, elas não ficam tanto tempo longe da escola. Mesmo assim, não custa, nesse período que antecede o retorno à rotina, preparar seu filho para rever professores e colegas.

Ajuste a rotina
Como durante as férias a tendência é que os horários sejam menos rígidos e as crianças (e você) não tenham hora certa para comer e acordar, o primeiro passo é retomar, gradativamente, a rotina do período escolar. Para aqueles que estudam de manhã, e que podem ter mais dificuldade em acordar, é importante reajustar o horário em que costumam acordar para ir à aula aos poucos. Vale lembrar que esse cuidado é válido também para os adolescentes, que, principalmente nas férias, dormem e acordam bem mais tarde, mudando completamente sua rotina de sono e alimentação.

Faltando poucos dias para o retorno às aulas, uma maneira de fazer isso é acordar seu filho 30 minutos depois do horário que ele se levanta normalmente. No dia seguinte, 20 minutos, depois, 10, até chegar ao horário regular. Para os que estudam à tarde, vale fazer o mesmo processo, só que para ajustar a hora almoço, que normalmente acaba ficando para mais tarde durante os dias de descanso. Para os especialistas, tanto o sono quanto a fome interferem na rotina da escola, por isso é recomendável uma progressiva adaptação aos horários normais.

Outro cuidado é, sobretudo, na primeira semana de aula, evitar atrasos, tanto na chegada quanto na hora de buscar a criança. No primeiro caso, porque é interessante que seu filho chegue com tempo suficiente para dar um abraço no professor, conversar um pouco com os colegas e entrar no clima. É importante chegar a  tempo de começar a atividade com todo o grupo, sem ter que se preocupar em se encaixar em algo que já está acontecendo. Além disso, quem chega atrasado fica em evidência, o que pode gerar certo desconforto. Já, na saída da escola, se os pais ou a pessoa responsável se atrasa, pode deixar a criança ansiosa.

Boas lembranças

O principal, no entanto, é conversar muito com seu filho a respeito dessa retomada das atividades. A melhor estratégia é reavivar a memória dele, com todas as coisas que está acostumado a fazer na escola: os jogos, as brincadeiras, o reencontro com os colegas etc.

Crianças que já possuem vínculo com os colegas podem ficar empolgadas com a possibilidade de dividir suas experiências de férias com os amigos. Que tal marcar um encontro com dois ou três amigos mais próximos do seu filho nesta semana? Pode ser uma maneira de seu pequeno ficar ainda mais empolgado com o retorno à escola.

Difícil para as crianças, difícil para os pais

“Mesmo com muita conversa, pode acontecer um breque da criança na hora de entrar na escola, principalmente com aquelas entre três e quatro anos de idade, que já têm uma percepção melhor do tempo e sabem que ir à escola significa um período longe da mãe”, indicam especialistas. Por isso, o melhor é ser paciente e estar atento ao comportamento do filho. Algumas vezes, é necessário que os pais fiquem um pouco na escola (em especial no caso dos menores), como já fizeram na adaptação, mas não há uma receita. Mas cuide para não demonstrar preocupação ou ansiedade.

Dizer pro seu filho que você vai sentir a falta dele é legítimo, carinhoso e verdadeiro. Mas também é preciso dizer que a escola é um lugar bacana, em que você confia muito, transmitindo segurança à criança, para que ela volte confiante.

Algumas dicas podem ajudar no cuidado com as crianças menores:

– Peça ajuda do seu filho para providenciar tudo o que for necessário para a volta às aulas: repor os materiais escolares, separar o uniforme e até mesmo preparar o lanche;

– Se você ainda for viajar, tente se programar para que a criança tenha pelo menos uns dois dias de descanso. Assim, ela não retorna à escola tão cansada;

– Mesmo que você sinta saudade, encoraje seu filho, ressaltando todas as coisas legais que ele vai fazer e aprender. E lembre-se: ainda tem o final de semana para curtir seu pequeno em tempo integral!

Fonte: Por Naíma Saleh / Revista Crescer

Deixe uma resposta